Buscar
  • Detalhe Alimentar

Passado, Presente e Futuro do setor das Vending Machines

Nos últimos anos os crescentes custos de mão de obra e a mudança dos hábitos de vida têm promovido a proliferação de máquinas de distribuição de bebidas e alimentos que se incluem no conceito das designadas máquinas de vending. O vending é um setor com o qual convivemos diariamente, seja numa escola, num hospital, numa fábrica ou num centro comercial. Mas onde é que tudo começou?




PASSADO


Para estudar este conceito é importante conhecer a evolução desde os primórdios, as motivações que levaram a apostar neste setor e a evolução tecnológica a que esteve sujeito. De acordo com os dados históricos obtidos até à data, o primeiro exemplar assinalado como sendo uma máquina de venda automática provém da Grécia antiga em 215 AC, através do engenheiro e matemático grego Hero de Alexandria, que criou um dispositivo que cedia água benta dentro dos templos egípcios, em troca de moedas.


Foi porém, no início da Revolução Industrial, cerca de 1880, que as máquinas de venda automática se deram a conhecer de forma mais ampla no mundo comercial. Inicialmente criadas com o propósito de poupar tempo aos homens de negócios na obtenção das suas refeições, foi um editor e proprietário de uma livraria, Richard Carlisle, que expandiu o conceito e constrói a primeira máquina distribuidora de jornais. Já nessa época, era possível encontrar nos arredores de Londres igualmente dispositivos totalmente automáticos que cediam selos aos utilizadores.


Com os avanços tecnológicos e com o objetivo de facilitar o dia-a-dia das pessoas, em 1887 foi fundada a Sweetmeat Automatic Delivery Company, a primeira distribuidora de máquinas automáticas. Tomando proveito desta tecnologia, Thomas Adams, em 1888, introduziu nos Estados Unidos da América as vending machines para ceder aos consumidores gomas Tutti Fruity, pertencentes à Gum Company. Estas foram instaladas nas plataformas do metro em Nova Iorque.


Não é demais afirmar que a introdução das vending machines trouxe uma nova forma de comercialização dos produtos. No ano de 1902 em Filadélfia, verificou-se uma grande mudança ao conceito de vending machines, foi criado um restaurante onde se introduzia moedas para obter uma refeição que se manteve no ativo durante 60 anos.


No início dos anos 20, as vending machines introduziram outros produtos a comercializar: refrigerantes em copos e cigarros. Depois disso, começaram a surgir máquinas de venda de postais, selos, de diferentes gostos e feitios. As máquinas de café surgiram nos anos 40, e foram elas que deram origem ao termo coffee break, atualmente bastante comum.


Hoje, considera-se que as bebidas e os cigarros estão entre os itens mais populares vendidos a partir deste conceito. Realça-se grandes marcas como a Classic Coke e Pepsi Soda que, em 1937, foram as primeiras a introduzir nas vending machines as suas bebidas engarrafadas.


Para facilitar o modo de pagamento dos utilizadores, John Greenwick (1965) inventou o primeiro sistema integrado que para além de aceitar moedas também aceitava notas, conhecido por bill acceptor.




PRESENTE


Hoje em dia a indústria das máquinas de vending está em constante transformação e desenvolvimento e estende-se a quase todos os domínios. O vending está incluído num setor que dia-após-dia sofre modernizações, o que obriga os operadores de vending a ser muito interventivos e imaginativos para poderem acompanhar o desenvolvimento do mercado e obviamente satisfazer o cliente. A redução dos custos de mão de obra ou de exploração de um estabelecimento, preços inferiores e o aumento do nível de satisfação dos clientes, por exemplo, ao poderem adquirir produtos alimentares a qualquer hora no seu local de trabalho, são algumas das principais vantagens, mas existem mais algumas razões que fazem do vending um setor em ascensão:


• Velocidade de resposta;

• Disponibilidade 24h/dia;

• Variedade na escolha do produto;

• Várias formas de pagamento;

• Qualidade higiénica, segurança, e bom controlo de temperatura dos produtos;

• Opções de colocação flexíveis (venda, aluguer ou arrendamento);

• Ajustável às necessidades do cliente (escolas, empresas, hospitais,...).


O mercado de vending em Portugal regrediu 15% em 2020, situando-se nos 475 milhões de euros, segundo a mais recente análise ao setor das máquinas de venda automáticas da Informa D&B.


A quebra no volume de negócios acontece num contexto em que o setor cresceu sustentada e consecutivamente nos últimos cinco anos e deve-se “ao impacto da pandemia da Covid-19, que provocou uma significativa deterioração do consumo privado e da atividade empresarial”, de acordo com o estudo.


Até ao final de 2019, o valor do mercado de venda automática manteve a tendência ascendente dos anos anteriores, atingindo 560 milhões de euros, o que representou um crescimento homólogo de 4,7%.

“O contexto macroeconómico favorável e o aumento da atividade turística foram os principais fatores que, nos últimos anos, dinamizaram a procura no setor de vending”, esclarece o documento.


Em 2019, as máquinas para venda de tabaco foram responsáveis por 63% das vendas totais, cujo valor atingiu 350 milhões de euros. O segmento de bebidas quentes, por sua vez, gerou quase 18% das receitas, enquanto as máquinas de bebidas frias e as de alimentos sólidos representaram, respetivamente, 11% e 9% do total.



FUTURO


Tecnologia


A tecnologia está a desempenhar um papel de liderança no crescimento da procura por máquinas de venda automática. A chegada de pagamentos cashless e transações contactless permitem que os consumidores selecionem e paguem pelos seus produtos sem problemas, com pouco ou nenhum contato.


Devido à grande variação no volume de vendas dos pontos de vending, algumas das máquinas requerem um reabastecimento muito mais frequente, sendo necessário até, várias vezes num dia, noutros casos, é somente necessário um reabastecimento semanal. A maioria das empresas de vending possui um processo sistemático de previsão e análise de decisão, onde a política de reabastecimento e calendarização das rotas apenas se baseia na experiência de quem toma as decisões. Esta dependência da experiência humana, por vezes, torna o processo de reabastecimento ineficiente.


A adaptação das máquinas a tecnologias de telemetria e smart vending permite aos operadores de vending adquirir dados em tempo real sobre tudo o que se passa com a sua máquina. Estas informações, englobam dados de inventário, avarias, encravamentos, moedeiros, gestão de rotas, abastecimentos e gestão dos stocks das suas vending machines. Isto vai permitir aos operadores coordenar todos os processos de abastecimento, de gestão de stocks e uma consequente redução dos custos de transporte desnecessários


Publicidade


Algumas das mais modernas máquinas de venda automática já tem incluídas visores de média onde as empresas podem anunciar e os operadores ganhar uma nova forma de rendimento com o seu ativo. Uma experiência ao cliente totalmente nova nasceu, o que é mais um passo no futuro das máquinas de venda automática.


Consumidores preocupados com a saúde


Embora, atualmente, os alimentos e bebidas de alto desempenho no mercado sejam como se pode esperar no setor de impulso – batatas fritas, doces e refrigerantes – as tendências indicam um movimento para a incorporação de opções mais saudáveis, como opções sem açúcar, com baixo teor de gordura e alto teor de proteínas, além de mais escolhas tradicionais. Uma pesquisa de 2020 realizada pela FMCG Gurus descobriu que 80% dos consumidores em todo o mundo indicaram que planeavam comer e beber de forma mais saudável em 2021 como resultado direto das consequências psicologias e sociais do COVID-19. Conheça as opções saudáveis da Detalhe Alimentar para as suas máquinas aqui.


A ascensão de veganos, vegetarianos e flexitarianos


Há algum tempo, que as dietas veganas e à base de plantas vêm a ganhar popularidade, tendência esta que foi acelerada pela pandemia. Desde novos substitutos á carne até à expansão do mercado alternativo ao leite, a inovação tem sido fundamental na criação de opções que atendem às mudanças de estilo de vida do consumidor sem comprometer o sabor. Conheça as opções vegan da Detalhe Alimentar para as suas máquinas aqui.


E você está pronto para agarrar as oportunidades de futuro no setor do vending?


Fontes:

https://www.refreshmentsystems.co.uk/how-technology-is-shaping-the-world-of-vending/

Bruno Matos da Silva in Tese de Mestrado - Desenvolvimento de Sistemas Automáticos para Distribuição de Alimentos

https://www.hipersuper.pt/2020/10/08/mercado-vending-devera-recuar-15-2020-5-anos-crescimento-sustentado/

RAFAELA MARISA e GERALDO FERNANDES in Tese de Mestrado OPORTUNIDADES E TECNOLOGIAS PARA A CRIAÇÃO DE VALOR NOS SERVIÇOS DE SMART VENDING

316 visualizações0 comentário